Data atual:24 de novembro de 2020

Brasil: 5 Coisas que talvez você não Saiba

Publicidade:

Dimensões continentais, uma diversidade impressionante e contrastes que pouco podem ser vistos em outros cantos. O Brasil tem de tudo um pouco, e é preciso mais do que uma vida para conhecer tudo o que nele existe.

ACELERADOR DE PARTÍCULAS

BRASIL

Era 2008, e o mundo tinha seu primeiro contato com a avançada tecnologia dos aceleradores de partículas. Naquele ano, era inaugurado o Grande Colisor de Hádrons, mais conhecido pela sigla LHC, na fronteira franco-suíça.

Quem tem boa memória vai lembrar que a novidade surgiu com muita desconfiança, e muita gente achava que os experimentos ali feitos poderiam criar um buraco negro. Mas o tempo passou e nenhuma das previsões apocalípticas se concretizou, e hoje em dia os aceleradores de partículas não são assim tão raros. Tanto é que até mesmo aqui no Brasil temos um! Ele fica na cidade de Campinas, no interior de São Paulo.

Com 518 metros de circunferência, o Sirius não é tão grande como o LHC, mas é a maior e mais complexa infraestrutura científica já construída no país, com uma tecnologia que hoje não pode ser encontrada em nenhum outro lugar do Hemisfério Sul.

As pesquisas e experimentos feitos no Sirius vão até o limite do permitido pela física, e alcançam as menores escalas do universo. Ali, elétrons são acelerados para velocidades próximas a da luz, dando origem a um tipo especial de luz, a síncroton, de amplo espectro e altíssima intensidade, que ajuda revelar estruturas de vários tipos de partículas, orgânicas e inorgânicas, podendo ser usada em várias aplicações científicas, como medicina, biologia, agricultura, e muito mais.

CRATERA DE IMPACTO

Brasil: 5 Coisas que talvez você não Saiba 22

Se você mora no bairro de Parelheiros, na cidade de São Paulo, está em uma região que foi o palco de uma queda de um corpo celeste há milhões de anos atrás. A cratera de Colônia tem 3 quilômetros e meio de diâmetro, e 300 metros de profundidade.

Desde a sua formação, ela foi sendo preenchida com sedimentos e restos de vegetação, que constituem um verdadeiro arquivo das mudanças climáticas da região e do planeta.

Hoje, os cientistas trabalham para decifrar todas as pistas que a Cratera de Colônia dá. Mais especificamente, a pergunta que eles tentam responder analisando os sedimentos presentes na cratera é como evoluiu a Mata Atlântica nos últimos milhões de anos, ajudando a completar o quebra-cabeça da história da região.

Para determinar se foi de fato um asteroide ou cometa que caiu, e a idade aproximada da cratera, os cientistas colheram amostras de minerais específicos do solo, como o quartzo e zircão. Eles só se formam em uma pressão superior a 40 quilobars e uma temperatura da ordem de 5 mil graus, condições que só são atendidas com uma forte liberação de energia, como a resultante do impacto de um corpo celeste.

Resta saber se foi um cometa ou um meteorito.

ESTAÇÃO NA ANTÁRTIDA

Brasil: 5 Coisas que talvez você não Saiba 23

Publicidade:

A Comandante Ferraz é uma instalação de pesquisa brasileira que fica na ilha do Rei George, na Antártida. Apesar de não estar dentro do território brasileiro, a estação não poderia ficar de fora, já que muita gente ainda não sabe que o Brasil tem importância relevante nos estudos feitos lá no continente gelado.

Inaugurada em 1984 e totalmente remodelada no começo de 2020, o complexo conta com cerca de 100 habitantes. Todos os anos, a Marinha promove a troca dos ocupantes da estação, enviando uma nova equipe para o lugar.

O Brasil é um dos 29 países presentes no continente, que não tem governo, não pertence a nação alguma, e é considerado uma área de preservação científica. São 17 laboratórios instalados com dezenas de pesquisas sendo feitas, incluindo as que trazem benefícios para as áreas da medicina, com a formulação de medicamentos; da agricultura, no desenvolvimento de novos pesticidas; e da indústria, na fabricação de produtos como anticongelantes e protetores solares.

VULCÃO

Brasil: 5 Coisas que talvez você não Saiba 24

Sim, o Brasil possui um vulcão, mas não um vulcão qualquer. É o mais antigo do mundo. Ele se chama Amazonas, mas não há com o que se preocupar, pois está inativo e o que antes era uma região perigosa, hoje esbanja intermináveis áreas verdes. O vulcão fica em Uatumã, entre os rios Tapajós e Jamanxin, em uma região formada por rochas vulcânicas que mostram a potência do monte em seu auge.

Estima-se que o vulcão Amazonas se formou há pelo menos 2 bilhões de anos, e possuía um cone de 400 metros de altura no auge de sua história. Hoje, sua cratera de 22 quilômetros de diâmetro está escondida sob uma densa vegetação.

CIDADE PERDIDA

Brasil: 5 Coisas que talvez você não Saiba 25

De fato, a região amazônica esconde muitos segredos e mistérios. Além de vulcões, um dos segredos mais bem preservados de lá é a cidade perdida de Kuhikugu, também conhecida como ‘X11’.

Essa antiga cidade pré-colombiana fica no Parque Indígena do Xingu, e chegou a ser o lar de 50 mil habitantes, tendo seu auge há cerca de 1500 anos. Hoje, é considerado um rico sítio arqueológico, com estradas, trincheiras e resquícios de fortificações.

Assim como outras populações nativas do continente americano, o povo que habitava a cidade sofreu com a entrada de doenças trazidas pelos europeus, como a caxumba e a varíola, mas a população não foi totalmente dizimada, e resistiu ao avanço das conquistas europeias.

Os remanescentes do povo que habitava a cidade são chamados de ‘kuikuros’, um povo que ainda preserva o idioma da antiga população, bem como alguns hábitos, como o cultivo da mandioca.

CONFIRA: https://www.arnolds.com.br/times-de-futebol-mais-ricos-do-brasil/

Publicidade: