Data atual:27 de outubro de 2020

5 dos Elementos letalmente Mortíferos do Planeta

Publicidade:

O famoso médico suíço Paracelso disse uma vez: “Todas as coisas são venenos, e o que vai definir a sua letalidade é a dose que você ingere”. Ele disse isso há cerca de 500 anos, mas suas palavras ainda são verdadeiras. Até mesmo beber água em excesso pode causar intoxicação e o óbito. Mas é claro que existem substâncias que podem ser mortais mesmo em quantidades mínimas. Confira então: Os 5 Elementos mais Mortais do Planeta.

1- BRODIFACOUM

5 dos Elementos letalmente Mortíferos do Planeta 23

O brodifacoum é um anticoagulante altamente letal. Hoje, é amplamente usado como pesticida e raticida. Introduzido em 1975, atua reduzindo o nível de vitamina K no sangue, o que leva ao sangramento interno e ao óbito. Embora seja usado principalmente contra ratos e outras pragas, humanos e animais de estimação não estão protegidos contra ele. Se você tocá-lo, ele pode penetrar na pele e causar sérios danos ao seu corpo. Animais que atacam ratos envenenados também ficam expostos à substância química.

2- TTX

5 dos Elementos letalmente Mortíferos do Planeta 24

A tetradotoxina, abreviada como TTX, é uma das neurotoxinas mais poderosas que existem. É encontrada no baiacu, que é bastante apreciado como iguaria no Japão, mas pode ser letal se você não prepará-lo corretamente. O TTX mata dezenas de pessoas no Japão todos os anos. O primeiro sintoma de envenenamento é uma dormência dos lábios e da língua. Dor de cabeça, rubor facial, náuseas, diarréia e vômito podem acontecer em seguida. Dificuldade para andar pode ocorrer nessa fase que evolui para o aumento da paralisia. A fala é afetada e a pessoa envenenada apresenta convulsões, contração muscular, pupilas dilatadas, bradicardia e insuficiência respiratória. O paciente, embora totalmente paralisado, permanece consciente e lúcido por várias horas. Não há antídoto.

3- CIANETO 

5 dos Elementos letalmente Mortíferos do Planeta 25

PUBLICIDADE

O cianeto é um dos venenos mais conhecidos e letais do mundo. Ele vem na forma de gás, através do cianeto de hidrogênio, e na forma de pó, via cianeto de potássio. Uma pequena dose da substância pode vitimar pessoas em minutos ao se ligar a moléculas de ferro no sangue e evitar que elas transportem oxigênio para as células individuais. Os alemães o usaram como ingrediente ativo em armas químicas durante a Segunda Guerra Mundial. Alguns dizem que cheira a amêndoas, e a ironia é que as amêndoas produzem esse odor por causa do cianeto contido nelas. Sim, inclusive as sementes de algumas frutas como maçãs, pêras, pêssegos e cerejas têm amigdalina, uma substância que libera cianeto ao ser mastigada, triturada ou quando entra em contato com as enzimas digestivas humanas, mas em quantidades bem pequenas. Para ter algum sintoma, uma pessoa teria que comer centenas de sementes. Vários são os sintomas de intoxicação com cianeto, e as consequências mais sérias ao organismo variam de confusão mental, paralisia muscular, hipertireoidismo a parada respiratória.

4- ESTRICNINA 

5 dos Elementos letalmente Mortíferos do Planeta 26

Essa substância é encontrada nas sementes da planta noz-vômica, nativa do Sri Lanka, Austrália e Índia. É uma neurotoxina que ataca o sistema nervoso central, fazendo com que quase todos os músculos do corpo da vítima se contorçam e ela tenha convulsões quase contínuas, que pioram com o menor dos estímulos. A pessoa geralmente vem a óbito em até 3 horas por asfixia, que acontece quando os músculos que controlam a respiração param de funcionar. Até hoje não existe um antídoto para a estricnina, e o tratamento deve ser iniciado o mais rápido possível, e consiste em tratar os sintomas e deixar a pessoa no escuro, já que a luz pode desencadear mais convulsões.

5- BATRACOTOXINA 

5 dos Elementos letalmente Mortíferos do Planeta 27

Essa neurotoxina incrivelmente poderosa felizmente é bem difícil de ser encontrada, a menos que você viva nas florestas tropicais. É um alcalóide esteroidal encontrado na pele de sapos venenosos. Quando ele fica assustado, agitado ou sente dor, o sapo libera uma secreção que contém a toxina. É tão poderosa que apenas 0,2 gramas da substância são suficientes para matar um ser humano.Ele mexe com o funcionamento do canal de sódio da vítima nas células dos músculos e nervos, resultando em rápida paralisia e parada cardíaca.Não há antídoto conhecido. Os índios usavam o veneno em zarabatanas para caçar suas presas. Curiosamente, os sapos produzem essa toxina enquanto digerem alguns insetos e besouros. As mesmas espécies de sapos nascidas em cativeiro não são venenosas porque não comem esses besouros mortais.

Publicidade: